quarta-feira, 30 de março de 2011

Melbourne, no roteiro da boa (e doida) mesa!

Os deliciosos rolls, em todo lugar e pra todos os bolsos!
 
Eureka 89, um lugar onde se come com os olhos...

Tramcar, um banquete pela cidade!

St Kilda, com suas várias opções de restaurantes...

Melbourne pode não ser tão cobiçada pelos turistas como Sidney, ou a Gold Coast, com suas praias maravilhosas. Mas a vida cultural da cidade é muito intensa e a população se gaba também de ter uma das melhores gastronomias da Austrália. Com uma fusão bem sucedida de ingredientes e técnicas culinárias importadas do mundo todo, Melbourne serve pratos para os mais variados bolsos e paladares.

Do tradicional “fish and chips”, herdado da metrópole inglesa, até os famosos “rolls”, sushis gigantes vendidos por $2,50 em todas as esquinas da cidade, encontra-se um pouco de tudo para comer. O ingrediente que mais faz sucesso na cidade, no entanto, é algo que não se põe à mesa: é a atmosfera dos restaurantes!

Digo isso, não só pela multiplicidade de lugares lindos, com candelabros de cristal, shows ao vivo e mesinhas na calçada; mas também pelas alternativas pouco convencionais de restaurantes, que Melbourne dispõe a seus moradores e visitantes. Jantar numa espécie de bonde vintage, enquanto se percorre as belas ruas de da cidade; refestelar-se num banquete exatamente igual ao servido aos finados hóspedes do Titanic, num ambiente que remonta à noite do naufrágio, e sobrevoar paisagens idílicas enquanto se saboreia pratos divinos, são algumas opções criativas da boa mesa em Melbourne.

Para sentir o gostinho desse tempero único, essa pitada de atrevimento que alguns estabelecimentos daqui usam para dar água na boca de seus clientes, vale reservar uma mesa (ou um assento, ou vestir uma boia, ou apertar os cintos...), e preparar o bolso para um pequeno rombo; ou não...

Afinal, quem falou que para se comer bem é preciso gastar muito? Com a proposta de servir refeições saudáveis e vegetarianas, o Lentil as Anything acredita na filosofia “Pay as you Feel”, ou seja, de que o cliente deve pagar o quanto achar que vale o que comeu! Não há valores no cardápio, paga-se o quanto quiser, na base da confiança. São três endereços na cidade, mas o mais bacana, em minha opinião, é o que fica em St Kilda. O ambiente é casual, geralmente com filmes, apresentações musicais e performances variadas.

E por que não jantar e fazer um city tour por Melbourne ao mesmo tempo? É só embarcar no Colonial Tramcar Restaurant, um bondinho vintage que percorre as ruas da cidade enquanto serve pratos refinados aos 36 passageiros que dividem a experiência por vez. Há várias opções de horários e menus, com preços que vão de $82 a $137 dólares por pessoa.

Já dizia o poeta “viver não é preciso, navegar é preciso”. E é com essa filosofia que os amantes da boa mesa devem embarcar no navio-restaurante Spirit of Melbourne para ter um jantar inesquecível. Nada poderá ser mais romântico do que uma ceia a dois, navegando ao longo do Rio Yarra. Há cruzeiros temáticos, como o de dia dos namorados, Natal, Réveillon e até casamentos a bordo.

Para os aficionados na tragédia do Titanic, é imperdível uma noite no Titanic Theatre Restaurant. Por 79 Dólares, o hóspede, ou melhor, o cliente, desfruta de um jantar dançante e de uma apresentação teatral, num ambiente que recria nos mínimos detalhes toda a noite do naufrágio. A diferença é que tudo é feito com muito bom humor e todos sobrevivem no final!

Mas para os que preferem as alturas às profundezas, aqui vão duas alternativas memoráveis de jantares:

No último andar do Edifíco Eureka, a 300 metros do chão e com vistas espetaculares da cidade, funciona o chiquíssimo Eureka 89. De quarta a sábado, o restaurante oferece o “menu degustação”, além de cardápios comemorativos para datas especiais e eventos. Com culinária de primeira, num ambiente luxuoso, cheio de gente moderna e descolada, o Eureka 89 seria perfeito, se não fosse um detalhe: os preços! Como só são revelados sob consulta, entende-se que a conta deva também ser lá nas alturas!

E para fechar essa viagem culinária, vai a dica do Gooney Bird, um avião modelo DC3, daqueles antigões, que sobrevoa bem baixo algumas paisagens de cartão postal de Victoria. Entre os roteiros, estão os 12 Apóstolos, a baía de Melbourne e a região de Coonawarra, onde pousa para um brinde em vinícolas da região.

Então, se apesar de todas as suas belezas e atrativos, Melbourne ainda não estava no seu roteiro da Austrália, quem sabe com estas opções não vale ao menos fazer uma escala para jantar?

4 comentários:

Anônimo disse...

Bombastico

Julio Mourão Monnerat disse...

Gente... cadê a empresa que vai contratar essa crítica da culinária internacional????? Ah, pode parar... tá desperdiçada... puxa vida!

Anônimo disse...

Inacreditável!
Será verdade isso tudo?
Acho que vale economizar para ir no trem e no Titanic. O avião voando bem baixo é dispensável.
Maravilha, Ma!
Melbourne vai levar o Oscar do dolce far niente!

Aproveitem!!
Beijo!
ybm

Marina disse...

Crítica culinária acho que eu não viro não, rsrsr. Meu cacife é só pro Lentills aqui!!

Mas é tudo verdade mesmo, e com certeza tem muito mais coisa maluca que eu ainda vou descobrir por aqui!

I 'll Keep you posted...

BJs