terça-feira, 15 de março de 2011

O Visto para a Austrália!


Academic Visitor Visa

Esse é um episódio complexo do pacote “Austrália”. A menos que o aplicante seja um turista, ou alguém que vai estudar por no máximo três meses (são considerados turistas também!), obter um visto pode ser bastante complicado. O turista que não vai estudar pode pedir um visto de até um ano, mas a embaixada é que decide o tempo de duração do visto.

O visto de turista é mais simples, custa em torno de R$120,00 + US$55,00. Para aplicar é preciso preencher um formulário e enviar junto com ele, uma série de documentos:

Documentação obrigatória:
• Passaporte, assinado e válido pelo período da estadia e passaportes anteriores, se já houver viajado ao exterior;
• Formulário 48R ou 48R POR vigente, preenchido e assinado pelo requerente (a foto afixada no formulário deverá ser recente e sem alterações digitais - 6 meses no máximo - e do tamanho 5x7 ou 3x4);

• Seguro Saúde - nós fizemos o Medibank, por meio da agência Austrália Brasil (que também vende passagens).
• Pagamento da taxa.


Para que o visto seja concedido, é necessário cumprir os requisitos financeiros, de saúde e de caráter, determinados pelo Departamento de Imigração do Governo Australiano. Os requisitos de saúde são um raio X de tórax e exame de urina, colhido em uma consulta com um dos médicos cadastrados pela embaixada. O preço das consultas é em torno de R$200,00, além do valor do exame, que custa a partir de R$80,00 e deve ser feito em laboratórios cadastrados pela embaixada também. Como o meu marido é médico, não pagou a consulta (graças ao famoso Juramento de Hipócrates!), mas os exames foram pagos integralmente.
Também nos pediram
Certidões Negativas de Antecedentes Criminais. Geralmente é preciso enviar as originais, mas como não teríamos tempo de solicitar as certidões no Poupa-tempo, enviamos os documentos via online, e aceitaram.

Os documentos abaixo também podem ser incluídos com o requerimento de visto para comprovar o cumprimento desses requisitos. Eu incluí o maior número possível de documentos, para garantir que não recusariam o visto, mas eles não são obrigatórios:

Documentação complementar:

• Carta do empregador informando cargo, tempo de serviço, salário e período de férias ou contrato social da empresa;
• Comprovante de matrícula da escola ou universidade;
• Carta convite de um familiar ou amigo na Austrália (na forma de Statutory Declaration);
• Comprovante de visto permanente, se não tiver nacionalidade do país no qual o requerente pedirá o visto;
• Provas de disponibilidade financeira ou acesso a recursos suficientes para realizar a viagem do requerente do visto ou da pessoa responsável financeiramente pela viagem (se for de um terceiro deverá acompanhar uma declaração, com firma reconhecida, confirmando a disposição da pessoa em custear a viagem).
Estas provas financeiras podem incluir, mas não são restritas a: 
  - três últimos contracheques;
  - declaração de imposto de renda;
  - extratos bancários de conta corrente ou investimentos dos três últimos meses;
  - recibos de compras de moeda estrangeira;
  - extratos de cartão de credito dos três últimos meses.
O visto de turista leva aproximadamente 10 dias para ficar pronto.
Como o Mário veio fazer pós-doc, o processo dele foi muito mais extenso e longo (levou uns 40 dias), a Universidade de Melbourne precisou aplicar também para o visto e, paralelamente, aplicamos por meio de uma agência especializada, a Get Visa. Eles fizeram todos os trâmites e nós só enviamos os documentos. O pessoal de lá até preenche os formulários pelos aplicantes e eles têm acesso total à embaixada, o que nos permitiu acompanhar cada etapa do processo e enviar documentos imediatamente, sem burocracias. Eu recomendo altamente que se aplique o visto por uma agência, se o caso não for visto de estudante. Há muitas variáveis de visto para a Austrália e até para identificar a qual tipo se deve aplicar, perde-se tempo e neurônios. Lógico que a assessoria deles tem um custo, mas compensa muito.
Como dependente do Mário, meu visto precisou ser da mesma categoria que a dele – Academic Visitor. E há diversas outras subcategorias, o que complica um pouco mais o processo. Para obter mais informações sobre os tipos de visto, vale acessar a página em português da Embaixada da Austrália.Telefonar para ter esclarecimentos pode ser um mal negócio, uma vez que o atendimento deles é no Canadá e em inglês.
Quem tem nacionalidade européia, consegue aplicar via online e a um preço bem menor. O visto sai mais depressa também. Ah, uma coisa fundamental: todos vindos do Brasil (e alguns outros países também, considerados zonas de risco para epidemias) que desembarcam na Austrália devem apresentar junto com o passaporte, a carteira de vacinação com o registro da vacina de febre amarela. A vacina tem validade de 10 anos e deve ser tomada no mínimo 10 dias antes da viagem. A carteirinha tem que ser a amarela, a que se obtém no aeroporto, não no posto de saúde. Pode-se trocá-la antes da viagem para evitar a chateação na imigração do aeroporto!
Com o visto em mãos, é hora de fazer as malas e se preparar para as intermináveis 20 e poucas horas de viagem, talvez trazendo um bom livro, ou uma cartela de Dramin...

6 comentários:

S7 Study disse...

Oi Marina!

Parabéns pelo Blog !
Esse post está muito esclarecedor, obrigada por citar a agência e contar com a gente.

Abraços !
Cristiana

www.novidadesdaaustralia.blogspot.com
www.facebook.com/australiabr

Marina disse...

Obrigada Cristiana!

Não podia deixar de citar a Australia Brasil, o trabalho de vocês é maravilhoso, uma inspiração pra mim! Estou adicionando o blog e o perfil de vcs no Face também!

Abraços!

Turquezza disse...

Gostei de conhecer seu blog, tenho filho morando na AU com cidadania australiana também. Em Janeiro vou de turismo para a casa dele. E vou lendo tudo que é informação e perguntando aos amigos que já viajaram para a AU.
Sempre é bom saber bastante para não pagar "mico", nem grana jogada fora, não é? Valeu! Beijos.

Kaká disse...

Achei bacana não ter mais que mandar o passaporte para a embaixada em Brasília, para o visto de turista. Mandei a papelada e eles me mandaram uma carta com um número que fica ligado ao passaporte. Moderno. :)

BINHA disse...

TURISTA PRECISA FAZER PLANO DE SAÚDE TAMBÉM???

Marina disse...

Precisa sim, mas com certeza é bem mais fácil e econômico; não precisa ser feito pelas cias australianas, pode ser da ISIS e similares! ;-)