terça-feira, 19 de julho de 2011

Austrália para andarilhos!

Andarilha por natureza, aqui encontrei o meu caminho!
Trilhas bem sinalizadas para todo mundo caminhar!
A profusão cores dá o tom das trilhas...

Koonia: formas de Dalí, num cenário de sonhos...

O que vale é a trilha pela trilha, os meios justificam o fim! 
Não há como negar que a paisagem australiana seja mesmo incrível, vibrante, dinâmica, colorida, como uma aquarela inteira em uma tela de Dalí: o azul que (con)funde céu e mar, o magenta que batiza a terra batida, o verde que dá vida aos arbustos, o amarelo do sol que se derrete no legítimo tom “blond-aussie” das madeixas regionais; tudo numa tela de beleza surreal, cenário onírico de arquétipos.
 
Opostos compõem a natureza australiana: a neve e o deserto; penhascos e ilhas; mares revoltos e piscinas naturais; animais dóceis, selvagens e animais já extintos no resto do planeta; os Alpes nevados e os vales imensos; uma geografia incomparável no mundo, à mercê de um clima extremo. No meio do mar ou no topo de rochedos, faróis (ou light houses) relembram a vulnerabilidade do homem em meio à natureza hostil e ao mesmo tempo apaixonante do país. Também o tempo passa diferente por aqui. Coexistem de forma harmônica, a construção do futuro sobre os pilares de um passado muito remoto e ainda presente.

Todo esse conjunto de elementos poderia ser um sonho, um prato cheio para um psicanalista analisar, se não fossem o combustível de milhares de andarilhos que encontram nas trilhas da Austrália, um estilo de vida. Com incontáveis trilhas por todas suas regiões, o país é um deleite aos andarilhos. Trilhas bem sinalizadas e preservadas entrecortam todas as regiões e possibilitam o contato com essas realidades tão distintas e igualmente magníficas.



Muitas trilhas não requerem mapas nem muito preparo físico para darem de bandeja o acesso a visões deslumbrantes da natureza. Eu mesma já percorri muitas delas por aqui e acho impossível ranqueá-las. Cada lugar tem uma beleza única, incomparável, e acredito que por onde quer que se embrenhe mato adentro por estas bandas se consiga obter o mesmo efeito oh-ah–oh-ah!, de deslumbramento diante das paisagens.


Alguns sites ousam definir as melhores caminhadas da Austrália, mas com exceção da Great Ocean Road, nenhuma das trilhas sensacionais que percorri – Sorrento, Dandenong Ranges, Mornington Peninsula, entre outras, constava dos ranks. Por isso, vale ter a mente aberta na hora de escolher a rota e não ficar aprisionado por opiniões subjetivas alheias. Mas aconselho aos andarilhos, de primeira viagem ou não, a darem uma olhada no excelente blog Bush Walking. O andarilho blogueiro posta todas as informações sobre as trilhas que percorreu no estado de Victoria, com fotos e detalhes essenciais para quem quiser seguir seus passos, literalmente. É muito objetivo e prático!


Depois, é preparar a mochila com o piquenique, protetor solar, repelente (se for o caso), mapas (sempre tem todos e mais um nos centros de visitantes – i), máquina fotográfica e seguir o lema do andarilho:

“Não deixar nada que não sejam pegadas, não levar nada que não sejam memórias, não matar nada que não seja tempo.” De resto, é aproveitar a caminhada e pensar que percorrer uma trilha é mais ou menos como saber aproveitar a vida, é caminhar movido pela beleza da própria trilha, sem pressa, aproveitando cada etapa; é a caminhada pelo caminho em si, os meios justificam o fim!

5 comentários:

Dani Maia disse...

Olá Marina,
Que lugar lindooo,
que fotos perfeitass.
queria eu ser uma andarilha ai hehehe
To mais para andarilha de centro com gigantescas crateras, maiores que os da lua haha
bjinhoss

Marina disse...

Hahaha, sei bem o que é essa vida de andarilha tupiniquim!! Um dia vc vem trilhar estes caminhos tbém, tenho fé nisso Dani!!

BJs e tks pela visita!!

Anônimo disse...

oi, Ma! Fantásticos seus comentários. Alguém que percorre caminhos com essa percepção de detalhes, de sensações, com essa fina sensibilidade de sentimentos, merece, mesmo, estar em todos os lugares do mundo para traduzir aos reles mortais a magia, os significados, a simples maravilha que é poder estar vivo entre tantas coisas fantásticas, feitas só pra nós...
Um beijo grande, filha, parabéns pelo seu nivel de amadurecimento quase transcendental.

Carol Martins disse...

Menina, não faça isso, com uma viajante compulsiva! Tá bom que eu não sou do tipo aventrureira de trilhas e caminhadaa. Mas quando viajo, acho que posso tudo! E essas fotos, deram água na boca! Agora, vou ler aos poucos e com calma, seu blog, que já achei uma delícia! bjs
Celina (do Mala de Rodinha e Nécessaire)

Marina disse...

Carol, que bom que se empolgou e curtiu as fotos! As viagens dão mesmo uma sensação de poder, liberdade de ser de alguém diferente, novo... Quem sabe na próxima viagem vc não encara umas trilhas bem loucas, hein?

Passeie à vontade por aqui! Vou já visitar o Mala de Rodinha e Necessaire!! rsrs

BJs!