quarta-feira, 27 de abril de 2011

Phillip Island: um passeio com altos e baixos!

Autêntico, por enquanto...

Os fofos coalas do Maru Park!

Que fome, hein pessoal!

Os pequenos cangurus, wallabies!

Nobbies

No entorno da fazenda vintage, a melhor programação!

Um dos mais famosos tours que os viajantes fazem na Austrália é para a Phillip Island, que fica 140 km a sudoeste de Melbourne. A ilha é famosa pelos diversos parques e reservas ecológicas que preservam a vida de animais como coalas, cangurus, o demônio da tasmânia, entre outros.


Pelo fato de ser muito grande, com 26 km de extensão por 9 km de largura e suas várias atrações  serem muito distantes umas das outras, o ideal é ir de carro ou fazer um tour com alguma agência de turismo. Eu e o Mário bem que tentamos descobrir uma maneira de ir usando o transporte público, para termos mais liberdade, mas percebemos que seria inviável conhecer o lugar em um dia, então acabamos fazendo um tour com mais 11 pessoas de diferentes países e um guia muito caricato.

Fizemos a Day trip no domingo de Páscoa, no meio de um feriadão de cinco dias (Páscoa e Anzac Day) e, diferentemente do que eu podia imaginar, a estrada e os parques estavam lotados! Fomos pegos na porta de casa às 8h30 da manhã e retornamos às 10hs da noite, após enfrentarmos muitas filas e congestionamentos. Por isso, o melhor talvez seja evitar datas comemorativas para fazer a viagem!

O roteiro tradicional na ilha compreende quatro atrações principais: Koala Conservation Centre, Churchill Island Heritage Farm, Nobbies Centre e a Penguin Parade. O ingresso para conhecer todos sai por $37,00 por pessoa. O preço do tour foi 75 por pessoa, incluindo também o almoço e o transporte; o que pode sair mais barato do que alugar um carro e gastar com combustível, GPS, estacionamento...

O Koala Conservation Centre é imperdível! É uma fazendinha que cria animais da fauna australiana. Entre dingos (uma espécie de coiote), wombats (uma marmota gigante) e demônios da tasmânia, há muitos cangurus e wallabies (um tipo menor de canguru) soltos. Também podemos alimentá-los e tirar fotos com os maravilhosos e pacíficos coalas. Para nós, o centro foi o ponto alto do passeio! Os cangurus se aproximam sem medo, seguram nas nossas mãos e comem calmamente o matinho que se compra por uma doleta na entrada do parque. Há cangurus albinos, bebês, e alguns enormes, para interagirmos! Difícil acreditar que aqui se coma a carne destes animais tão dóceis e empáticos...

Uma paradinha interessante, mas que talvez seja dispensável para quem não tem crianças, é a Churchill Island Heritage Farm. O lugar é uma fazenda da época vitoriana, que conserva arquitetura e o modo de vida da década de 1850. Há atividades com animais, como ordenha da vaca, tosa de ovelhas, passeio de charrete, e exposição de carros antigos, com venda de produtos vintage. Percorrer as trilhas à beira da praia, bem na frente da fazenda, é a melhor forma de passar o tempo na região, em minha opinião.

No caminho para a Parada dos Pinguins, fica o Nobbies Centre, que nada mais é do que uma área em frente ao mar, com escadas e mirantes para observar a incrível formação rochosa que existe no local. Com sorte, o viajante pode avistar pássaros raros e focas. Eu não vi nem um, nem outro. Mas, de qualquer forma, a paisagem é mesmo deslumbrante e vale uma parada para contemplar o pôr do sol antes de rumar para a famigerada Penguins Parade.

A Parada dos Pinguins, apesar de ser a mais aclamada das atrações, foi bem frustrante. Em minha opinião, o evento é a pura “mercantilização” de um fenômeno natural e que, com o tempo, está modificando o comportamento animal. O fato é que no lugar da praia onde todos os dias “centenas” de pinguins (pelo menos é o que dizem; mas se eu vi dez foi muito!) retornam de um dia no mar, foi construído um teatro grego, onde centenas de pessoas (pelo menos é o que eles dizem, porque eu vi milhares!) se espremem e freneticamente aguardam para vê-los caminhar desengonçados, de volta aos seus lares, entre as pedras e vegetação. Pode ser que um dia, tenha sido bonito ver este retorno dos pequeninos às areias, desfilando como em uma parada. Mas o que presenciei na verdade foi uma parada de pessoas desengonçadas desfilando loucamente para ver meia dúzia de pinguins, em locais distantes da praia, (talvez fugindo dos holofotes que existem no teatro), para encontrar algum sossego. O interessante foi apenas vê-los já nas matas, fazendo um burburinho, com seus piados e grunhidos divertidos. O circo montado para o espetáculo mata a beleza do fenômeno, e isso é uma pena...

Além destas quatro atrações que eu conheci, há ainda muitas outras opções de passeios: tours de barco para ver de perto as focas, passeios de helicóptero, aluguel de caiaque, jardins botânicos, um kartódromo, museus, campos de golfe, boliche, etc. Mas para usufruir com mais calma, provavelmente seja necessário passar um final de semana na ilha. E as opções de acomodação são muitas e para todos os bolsos!

A graça do lugar é a interação com os animais e os cenários que a natureza proporciona. O resto é muita armação, capitalização ambiental, intervenção humana dispensável; e nada disso me interessa. Mas para quem interessar usufruir do contato com a natureza e contemplar belas paisagens, com certeza, vale pagar o preço dos programas “mico” e aproveitar o pouco que ainda resta de autêntico nas atrações, e isso fica por conta dos animais!


video

3 comentários:

Marina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Marina, olá, meu nome é alrissa, e estou planejando ir para philip island tambem. nao tenho muitos destinos e gostaria de ir direto pra lá msm, vc poderia me dar uma dica de que meio de transporte chegar até lá? pretendo trabalhar em um resort! tem alguma dica que queira me dar sobre a trip? desde já obrigada, lindas as fotos e mto legal o post.. abraço.

Marina disse...

Olá Alrissa!

Olha, se for mesmo para lá, te aconselho acomprar um tour, porque não é fácil ir por conta própria não. Eu e meu marido sempre fazemos tudo sem excursão, mas neste caso desistimos, pq realmente não dava...

No Visitor Centre, na Federation Square - que é o centro de Melbourne - eles vendem as day trips!

Dica: evite ir em final de semana, porque fica tão lotado o lugar que mal se vê os pinguins!

Boa sorte!

Beijos!